top of page

Empresário é acusado de Agredir Ex-Companheira com Filha no Colo em Luís Eduardo Magalhães - BA

Empresário é acusado de agredir ex-companheira enquanto segurava a filha no colo em Luís Eduardo Magalhães, BA


Foto da internet: Marcelo Pedot e Kamilla Oliveira


Luís Eduardo Magalhães, BA — Um episódio alarmante de violência doméstica abalou a cidade na última sexta-feira, 7 de junho. Marcelo Pedot, empresário renomado e líder do frigorífico Frilem, foi acusado de agredir sua ex-companheira, Kamilla Oliveira, enquanto ela segurava a filha do casal nos braços. A agressão ocorreu por volta das 18h20 em frente à Escola Dom Bosco, onde Kamilla havia ido buscar a filha para passar as férias em São Paulo, conforme estipulado em decisão judicial sobre guarda compartilhada.


O Incidente


Kamilla Oliveira, que havia viajado de São Paulo para buscar a filha, foi surpreendida por Marcelo Pedot ao sair da escola. Após uma troca de ofensas, Marcelo teria partido para a agressão física, desferindo socos e puxões de cabelo em Kamilla, atingindo também a filha que estava em seu colo. De acordo com Kamilla, câmeras de segurança da escola registraram toda a agressão.


A seguir fotos enviadas das escoriações da suposta vítima de violência Kamilla Oliveira:


Ação Policial e Redes Sociais


Após o incidente, Kamilla acionou a polícia local, sendo conduzida à delegacia para registrar a ocorrência e prestar depoimento. Contudo, Kamilla relatou que aguardou atendimento por mais de duas horas, suspeitando que a demora possa estar relacionada às influências de Marcelo na cidade, incluindo suas conexões com a polícia local e figuras políticas.


Para evidenciar a gravidade do ocorrido, Kamilla compartilhou trechos da confusão e das agressões em suas redes sociais, na conta @milaoliver07, onde recebeu apoio e solidariedade de diversos seguidores.


Questões Jurídicas e Conflitos de Guarda


O incidente de agressão ocorre em meio a uma disputa judicial pela guarda da filha do casal. Em 2022, Marcelo entrou com uma ação de guarda unilateral, inicialmente indeferida. No entanto, um agravo de instrumento posteriormente concedeu-lhe a guarda unilateral, citando dificuldades logísticas para a guarda compartilhada, dado que os pais residem em comarcas diferentes.


Kamilla alega que Marcelo tem descumprido os acordos de convivência estabelecidos judicialmente, prejudicando seu direito de passar períodos específicos com a filha, incluindo datas comemorativas importantes. Ela também relatou dificuldades de comunicação com a filha, exacerbadas por atrasos nas respostas de Marcelo.


Reações e Esperança de Justiça


A comunidade de Luís Eduardo Magalhães acompanha atentamente o desenrolar deste caso, que destaca a necessidade de proteção eficiente para vítimas de violência doméstica, independentemente do status social ou conexões do agressor.


Kamilla Oliveira espera que a justiça seja feita e que sua denúncia resulte em uma investigação justa e transparente, sem interferências externas. Ela também clama por maior agilidade e eficiência no atendimento às vítimas de violência, sublinhando a importância de um suporte imediato e adequado para evitar a repetição de tais situações.


O caso traz à tona questões críticas sobre a violência doméstica e a aplicação rigorosa das leis de combate a essa violência, ressaltando a importância da segurança e bem-estar das vítimas.


O Opinativo Político, está a disposição para notas de autoridades e declaração de resposta da parte causada. Até o momento não conseguimos contato, no entanto, estamos a disposição por meio do e-mail opinativopoliticooficial@gmail.com ou via whatsapp 63992991583

6.208 visualizações7 comentários

7 Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Guest
há 5 dias
Rated 3 out of 5 stars.

A mãe tem direito de ficar alguns períodos com a criança, porem o pai não permite. Que absurdo isso.

Like

Guest
Jun 10

Agora não entendi , por que a guarda da criança está com o pai . Já que em grande maioria a guarda fica com a mãe.

Like
Guest
Jun 10
Replying to

Porque ela abandonou a criança quando pequena. E a outra fioha que ela tem é criada pela avó da criança. Ela não tem a guarda compartilhada. A guarda é unilateral do pai. E não houve agressão por parte do pai as câmeras da escola registraram tudo. Ela está mentindo e não é pouco. E uma blogueira biscoiteira.

Like

Guest
Jun 10

Que a justiça seja feita, e esta criança retorne para os braços da mãe.

Like
Guest
Jun 12
Replying to

Sorte dele que tem câmeras senão já cai nesse mimimi.

Like
bottom of page